Dossiê Mulheres - HUB Feminista

Dossiê Mulheres

HUB Feminista

O Dossiê Mulheres é sobre nós!

O HUB Feminista Dossiê Mulheres é uma plataforma para unir as mulheres que lutam por igualdade, compartilhando informação e conteúdos interativos e pedagógicos sobre o feminismo.

O Dossiê Mulheres também é um espaço para acolher e orientar mulheres que passam ou passaram por situação de violência, com uma coletânea de informações úteis reunidas em um só lugar.

O Dossiê Mulheres é sobre nós!

O HUB Feminista Dossiê Mulheres é uma plataforma para unir as mulheres que lutam por igualdade, compartilhando informação e conteúdos interativos e pedagógicos sobre o feminismo.

O Dossiê Mulheres também é um espaço para acolher e orientar mulheres que passam ou passaram por situação de violência, com uma coletânea de informações úteis reunidas em um só lugar.

Essas informações vão ajudar a mulher desde o processo de denúncia até o acompanhamento da saúde mental. No quesito da orientação, iremos também contar com coletivos como Rede de Juristas Feministas e Justiceiras de Saia, além de projetos de pesquisa como Trabalho&Assédio.

O HUB Feminista é impulsionado pela deputada estadual Isa Penna. Essa iniciativa tem o objetivo de fortalecer e facilitar a formulação coletiva de políticas públicas em defesa dos direitos das mulheres, além de conectar cada vez mais mulheres e ecoar essas vozes com um mandato público, popular que estamos construindo e fazendo história.

Quando começou?

Em 2018, logo no início da nossa história na ALESP (Assembleia Legislativa de São Paulo) aprovamos, junto a 55 deputados, o PL Dossiê Mulher, que tinha como objetivo principal a criação de um banco de dados para unificar os registros de violência contra as mulheres no estado, infelizmente foi vetado pelo governador João Dória. A nossa mandata seguiu legislando em defesa das mulheres e elaborando projeto de leis que atendessem a população.

Quando a nossa luta foi ampliada por uma injustiça!

Em 16 de dezembro de 2020, a liderança e deputada desta mandata; Isa Penna, foi assediada e apalpada em plena sessão de fechamento orçamentário, era a última sessão do ano e em meio à uma série de ofensas por parte de um grupo de deputados em relação ao seu corpo e como dançava em suas redes, o deputado Fernando Cury a apalpou ao vivo e televisionado pelos canais da ALESP. O caso repercutiu somente depois de noticiado pela imprensa e assim foi travada uma batalha no conselho de ética e logo após na assembleia em que culminaram seis meses de suspensão do parlamentar. O processo ainda corre na justiça comum e a mandata ainda não desistiu da cassação do deputado apesar de reconhecer que seis meses de suspensão foi o máximo de punição dado à um parlamentar por assédio na história política do Brasil.

É por todas que seguimos na luta

Foram muitas histórias e batalhas vividas até aqui, e a violência política de gênero a violência contra as mulheres está longe de acabar, por isso o site Dossiê Mulheres foi feito com muito carinho, técnica e trabalho para fortalecer essa luta que é de todas as pessoas.

Do luto se faz luta.
De uma batalha se faz muitas outras.

Quem é Isa Penna?

Isa Penna tem 30 anos e está deputada estadual por São Paulo. Elegeu-se em 2018 com 53.838 votos e é a atual líder da aguerrida bancada do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), única na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) composta majoritariamente por mulheres.

Nossas pautas prioritárias são o feminismo e a vida das mulheres, a defesa do futuro e dos sonhos da juventude, os direitos humanos e a educação. Mas o principal compromisso da Mandata Coletiva e Feminista da Isa é levar a voz do povo para o Parlamento. São tempos difíceis, mas estamos na luta!

Com 23 anos, Isa Penna foi candidata a Deputada Estadual pelo PSOL em São Paulo nas eleições gerais de 2014. Apesar de poucos recursos e ter uma equipe de campanha composta por militantes jovens, ela teve um resultado surpreendente, com 6.915 votos com o slogan “Mulheres na política, política nas ruas”. Após o período eleitoral, continuou fortalecendo a luta feminista, e passou a receber diversos convites para debates e participação na imprensa.

Em 2016, Isa disputou o cargo de vereadora, após um processo de diversos debates com mulheres na cidade, resultando no movimento “#SPPrasMinas”, que posteriormente se transformou no slogan de uma campanha eleitoral que somou 12.439 votos. Com a terceira maior votação do PSOL, Isa se tornou a primeira suplente da bancada do partido em São Paulo.

Em março de 2017, Isa Penna assumiu a cadeira de vereadora por 30 dias, após licença de Toninho Vespoli, e junto com Sâmia Bomfim compôs uma bancada 100% feminina e feminista na Câmara de São Paulo durante o mês das mulheres. Neste período, apresentou o “PL SPprasMinas”, projeto de lei pela criação de um Fundo de Investimento Municipal pelo Direito das Mulheres. Além de promover uma assembleia pública na Câmara Municipal de São Paulo para debater a violência contra as mulheres.

Durante sua passagem pela PUC-SP, foi da gestão do histórico Centro Acadêmico 22 de agosto nos anos de 2010 e 2013 com o grupo “Construção Coletiva”.

Também participou por alguns anos da Federação Nacional dos Estudantes de Direito (FENED). Durante todo período universitário, lutou contra a forte elitização que a PUC-SP passou. Mas sua luta extrapolou os muros da pontifícia.

Em junho de 2013, ao lado de milhares de jovens, Isa ocupou as ruas! Em 2014 ajudou a fundar o movimento RUA – Juventude Anticapitalista. Na primavera feminista de 2015, ocupou avenidas contra o PL 5069. E é da geração de feministas que derrotaram Eduardo Cunha!

Isa defende um feminismo interseccional, que incorpora as reivindicações da mulheres negras e LBT’s, além de levar em consideração a luta de classes no debate feminista.

É uma das criadoras, em 2010, do coletivo feminista Yabá (Direito da PUC-SP). Hoje, costuma ser convidada a contribuir com a fundação de coletivos feministas em universidades e bairros da cidade.

Isa Penna é atualmente deputada estadual pelo PSOL em São Paulo e membro titular na Comissão de Mulheres da Alesp, defendendo principalmente pautas relacionadas ao combate à cultura do estupro e a violência contra as mulheres, a divisão sexual do trabalho e a importância das mulheres ocuparem os espaços público e a política.

Isa Penna tem 30 anos e está deputada estadual por São Paulo. Elegeu-se em 2018 com 53.838 votos e é a atual líder da aguerrida bancada do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), única na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) composta majoritariamente por mulheres.

Nossas pautas prioritárias são o feminismo e a vida das mulheres, a defesa do futuro e dos sonhos da juventude, os direitos humanos e a educação. Mas o principal compromisso da Mandata Coletiva e Feminista da Isa é levar a voz do povo para o Parlamento. São tempos difíceis, mas estamos na luta!

Com 23 anos, Isa Penna foi candidata a Deputada Estadual pelo PSOL em São Paulo nas eleições gerais de 2014. Apesar de poucos recursos e ter uma equipe de campanha composta por militantes jovens, ela teve um resultado surpreendente, com 6.915 votos com o slogan “Mulheres na política, política nas ruas”. Após o período eleitoral, continuou fortalecendo a luta feminista, e passou a receber diversos convites para debates e participação na imprensa.

Em 2016, Isa disputou o cargo de vereadora, após um processo de diversos debates com mulheres na cidade, resultando no movimento “#SPPrasMinas”, que posteriormente se transformou no slogan de uma campanha eleitoral que somou 12.439 votos. Com a terceira maior votação do PSOL, Isa se tornou a primeira suplente da bancada do partido em São Paulo.

Em março de 2017, Isa Penna assumiu a cadeira de vereadora por 30 dias, após licença de Toninho Vespoli, e junto com Sâmia Bomfim compôs uma bancada 100% feminina e feminista na Câmara de São Paulo durante o mês das mulheres. Neste período, apresentou o “PL SPprasMinas”, projeto de lei pela criação de um Fundo de Investimento Municipal pelo Direito das Mulheres. Além de promover uma assembleia pública na Câmara Municipal de São Paulo para debater a violência contra as mulheres.

Durante sua passagem pela PUC-SP, foi da gestão do histórico Centro Acadêmico 22 de agosto nos anos de 2010 e 2013 com o grupo “Construção Coletiva”.

Também participou por alguns anos da Federação Nacional dos Estudantes de Direito (FENED). Durante todo período universitário, lutou contra a forte elitização que a PUC-SP passou. Mas sua luta extrapolou os muros da pontifícia.

Em junho de 2013, ao lado de milhares de jovens, Isa ocupou as ruas! Em 2014 ajudou a fundar o movimento RUA – Juventude Anticapitalista. Na primavera feminista de 2015, ocupou avenidas contra o PL 5069. E é da geração de feministas que derrotaram Eduardo Cunha!

Isa defende um feminismo interseccional, que incorpora as reivindicações da mulheres negras e LBT’s, além de levar em consideração a luta de classes no debate feminista.

É uma das criadoras, em 2010, do coletivo feminista Yabá (Direito da PUC-SP). Hoje, costuma ser convidada a contribuir com a fundação de coletivos feministas em universidades e bairros da cidade.

Isa Penna é atualmente deputada estadual pelo PSOL em São Paulo e membro titular na Comissão de Mulheres da Alesp, defendendo principalmente pautas relacionadas ao combate à cultura do estupro e a violência contra as mulheres, a divisão sexual do trabalho e a importância das mulheres ocuparem os espaços público e a política.